Sábado, 15 de Junho de 2024
Reportagem Especial Denúncia

Estudantes da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) denunciam assaltos frequentes nas proximidades dos campus, em Santarém-PA

Ações frequentes de bandidos próximo aos campus Tapajós e Rondon têm deixado os universitários amedrontados e receosos.

30/10/2023 às 14h34 Atualizada em 10/02/2024 às 00h56
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto: Ufopa
Foto: Ufopa

Recentemente, a equipe do Tapajós de Fato recebeu relatos de que, frequentemente, casos de assaltos estão sendo presenciados no entorno dos Campus UFOPA, no município de Santarém. 
Diariamente, centenas de pessoas, sejam estudantes ou servidores, utilizam as dependências da UFOPA para realizar suas atividades, promovendo uma movimentação no entorno e dentro da universidade. Porém, muitas dessas pessoas não possuem transporte próprio, sendo dependentes dos transportes públicos e dos demais serviços de transporte (Mototáxi, táxi, Uber, entre outros) para se deslocarem para outras localidades.
Observando nessa perspectiva, nota-se a fragilidade e vulnerabilidade dos frequentadores da universidade para ações de indivíduos de má índole. Por mais que a UFOPA tenha sistema de segurança como guaritas e seguranças realizando rondas constantes, estes só compreende a área interna dos Campus presentes na cidade, deixando o entorno fora da área de cobertura desse serviço.
Preocupados e assustados com essas frequentes ações de bandidos nas proximidades dos campus, estudantes procuraram nossa equipe e relataram um pouco sobre como se sentem diante dessa situação: 


“Aquela área em frente a UFOPA é bem escura, não há uma iluminação adequada para os estudantes trafegarem, principalmente agora que o Restaurante Universitário (R.U) está ofertando serviços de janta, realizar o trajeto do restaurante até o inicio do campus, onde tem a guarita acaba ficando perigoso. Sem contar as ruas paralelas que são muito escuras. Então até pra sair do campus, esperar o Inter campus no canto do restaurante, ou então se deslocar para a parada de ônibus se torna muito perigoso”. 
“Moro ali no bairro caranazal e quando eu chego mais cedo, até que é tranquilo ir para casa, por conta da claridade e do movimento, mas quando chego tarde, eu volto com receio, porque já ouvi relatos que ocorreram assaltos ali próximo, e aí a gente volta com um pouco medo, sempre olhando pros lados, vendo se não tem alguém seguindo. Então em relação a isso eu tenho um pouco de medo e receio quando chego e já está a noite.”
 “Eu acho que é muito perigoso ir embora à noite quando não há o Inter campus, pois realizar esse trajeto até a parada é impossível, por conta de ser muito escuro.”
-Relatos de universitários que frequentam os Campus da UFOPA em Santarém.
 
Fatores que comprometem a segurança do local      
Ouvindo o depoimento dos estudantes, observa-se que as principais reclamações feita por eles estão relacionadas a iluminação e segurança pública ausente naquele local. Fomos até o local para verificar a realidade.


Iluminação pública e policiamento
No entorno da UFOPA Rondon, observa-se uma iluminação precária e que não supre a demanda do lugar. Além de lâmpadas de baixa potência, os arredores do Campus são repletos de árvores, que impedem a propagação da luz, devido a falta de podas preventivas, de responsabilidade da Prefeitura de Santarém. Sendo assim, o local se torna extremamente escuro e perigoso.

Arredores do campus Rondon /  Foto: Tapajós de Fato

No campus Tapajós, a situação se repete. Além disso, as ruas paralelas ao Campus que dão acesso à parada de ônibus localizada na Avenida Cuiabá não apresentam nenhum tipo de movimentação ou circulação de pessoas que amenizem o perigo de ser assaltado. 

Arredores do Campus Tapajós / Foto: Tapajós de Fato

Em relação ao policiamento, em ambos os campus não há uma ronda frequente de viaturas durante esse período noturno. Além disso, não há nenhum posto policial próximo que possa servir de apoio caso aconteça algum tipo de ocorrência.


Transporte público
Ambos os Campus apresentam uma parada de ônibus ou em frente ou bem próximas da saída. Entretanto, as rotas das linhas dos ônibus não contemplam essas paradas. Apenas uma linha circula no campus Rondon e outra no Campus Tapajós. Então, as pessoas que necessitam desse tipo de transporte e por algum motivo não consigam embarcar no Inter campus, necessitam se deslocar até uma parada onde passe a linha desejada e normalmente estas estão bem distantes do campus, favorecendo a insegurança dos estudantes e demais utilizadores do espaço. 

Pontos de Ônibus disponíveis em cada campus / Foto: Tapajós de Fato

Outro ponto observado foi a ausência de pontos fixos para taxistas e mototaxistas permanecerem à espera de passageiros advindos de ambos os campus. Mesmo com a existência de aplicativos de transporte, muitos ainda preferem esperar e pegar pessoalmente esses tipos de transportes. Então ter um ponto fixo mitigaria o risco para as pessoas dependentes desses serviços.


O que a universidade tem feito para resolver esse problema?
Em 2019, a UFOPA lançou o Projeto Cidade Universitária, que visava unificar as propriedades instaladas no Bairro Salé para ter acesso e garantir serviços de infraestrutura e segurança de toda aquela região. Porém, para tal realização necessitava que algumas vias públicas se tornassem propriedade da universidade, além de alguns imóveis particulares.

Projeto Cidade Universitária Fonte: Comunicação UFOPA.

O projeto de Lei já sofreu 2 adiamentos em sua votação, sendo a última em 2020, para avaliação do legislativo e ainda aguarda por uma nova votação. Vale ressaltar que esse projeto engloba apenas o Campus Tapajós.
Em relação aos casos de assaltos, até o momento da publicação deste texto não houve nenhum posicionamento por parte da Universidade. Toda e qualquer atualização, faremos aqui em nosso portal.  
Mais informações sobre está acontecendo em nossa região? Acesse o nosso Portal ou nossas Redes Sociais

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.