Sábado, 15 de Junho de 2024
Notícias Evento

Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) sedia o XV Encontro Nacional da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO)

Durante os dias 7 a 11 de novembro de 2023, a UFOPA campus Tapajós é palco do ECOECO, um evento nacional que tem como tema: Economia da Sociobiodiversidade da Amazônia.

09/11/2023 às 16h56 Atualizada em 10/02/2024 às 00h55
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto: Tapajós de Fato
Foto: Tapajós de Fato

Durante os dias 7 a 11 de novembro de 2023, a UFOPA campus Tapajós é palco do ECOECO, um evento nacional que tem como tema: Economia da Sociobiodiversidade da Amazônia. Dentre a programação, têm- se minicursos, palestras e mesas redondas sobre o assunto. O evento conta com a participação de estudantes, pesquisadores(as) nacionais e internacionais, assim como a sociedade civil. 

O ponto interessante deste evento é a quantidade de temas trazidos para apresentação e debate durante os dias do evento. Dentre eles, listamos alguns abaixo:  

  • Bioeconomia inclusiva e cadeias de valor de produtos da Sociobiodiversidade da Amazônia.

  • Conflitos Ambientais na Mineração: perspectivas e resistências

  • Desafios da transição para um sistema agroalimentar saudável e sustentável

  • Economia ecológica e agroecologia

  • Governança em unidades de conservação

  • Impactos Socioambientais de eventos climáticos extremos

  • O papel das empresas nos conflitos socioambientais

Sobre o evento

A equipe do Tapajós de Fato conversou com uma das organizadoras, que falou um pouco sobre o evento:

“Esses nossos encontros da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica já acontecem há trinta anos, a cada dois anos, né? Esse é o nosso décimo quinto encontro e reúne pesquisadores de diversas áreas, não só economistas, mas economistas que tenham um olhar um pouco mais aberto para os problemas econômicos, que entendem esses problemas ambientais como fundamentais, e  entendem as questões sociais e econômicas atuais e por isso a gente tem um diálogo interdisciplinar bastante forte com pessoas que são de outras áreas, da biologia, da ecologia, da ciências sociais. Então, aqui no encontro você vai encontrar gente de várias áreas. Além de pessoas de várias áreas, a ECO ECO, que é assim que a gente chama a Sociedade Brasileira de Econômica Ecológica, também é muito aberta ao diálogo mais amplo com a sociedade civil. Ela foi sempre assim, desde a sua formação, então, organizações da sociedade civil, formuladores de políticas públicas, movimentos sociais sempre foram bem-vindos, porque a gente entende que pra entender problemas complexos como a gente tem,  as questões ambientais, a crise que a gente vive hoje na Amazônia, não basta só olhar pra aspectos extremamente econômicos, a gente precisa ter um olhar mais amplo”.

Ciclo de mesa redonda ocorre durante os dias do encontro  

Foto: Tapajós de Fato

Ela ainda completou sobre a realização do encontro em terras amazônicas:

“A gente já fez encontros em várias regiões do Brasil, né? E depende muito onde a gente vai fazer encontro, da atuação dos membros da nossa sociedade e a gente tem professoras aqui que participam da ECO ECO, né? E foi a uma professora daqui, a professora Zilda Coen Santos que nos propôs trazer o encontro para Santarém, a gente achou muito bacana a ideia e um contexto que a Amazônia é central para crise climática global, enfrenta diversas vulnerabilidades sociais e ambientais, e a gente está vivenciando isso esse mês, né?  Enfim, e também nos últimos anos, nas últimas décadas programas sociais importantes que a gente tem na região, a gente falou, ah, talvez seja realmente um momento importante pra gente fazer um encontro lá. Eu acho que a gente não vem de fora porque a gente tem gente daqui que tá na nossa organização, né? 

Para finalizar, ela repassa o cronograma do evento e comenta sobre sua importância para Amazônia:

“O comecinho do nosso encontro, ele é composto por apresentação de trabalhos científicos. Às vezes, de professores, às vezes de estudantes, de pesquisadores, jovens pesquisadores, pós-graduandos. Essa é a primeira parte. Aí temos encontros, temos trabalhos científicos sobre a Amazônia, sobre outros temas diversos também na programação, é bem diversa nessa parte. O restante das mesas em sua maioria, mas não exclusivamente, a gente tem muitas mesas voltadas à Amazônia, porque a gente foi recebendo propostas mesmo”. 

Feira da sociobiodiversidade

Além de palestras e minicursos, o encontro trouxe também um pouco da prática do que é Bioeconomia e também Sociobiodiversidade com a apresentação da feira da Sociobiodiversidade. Ela estará presente durante os dias do evento e conta com a presença de pequenos empreendedores que utilizam da biodiversidade da Amazônia para criação de produtos de forma sustentável.

Em conversa com Fernanda Mourão, fundadora da empresa Xibé, ela contou um pouco da sua ideia de negócio e da importância de trazer a feira para programação da ECO ECO:

“A gente trabalha com uma moda responsável na linha de acessórios e vestuários com tingimento e estamparia natural, com plantas principalmente do bioma amazônico, sempre lembrando dessa parte do comércio justo com as comunidades que a gente adquire essas plantas. E também, a gente trabalha na linha de produção regional, então toda a nossa produção é feita na vila de Alter do Chão, aqui na região do Pará , e também os nossos tecidos que são de origem responsável, como a seda ecológica, algodão orgânico. E eu acredito que o ECO ECO ele é extremamente importante para divulgação não só da minha marca, mas de como todos que estão expondo, mostrar a bioeconomia regional pra pessoas que estão vindo de fora, tanto da linha de moda, mas da linha também de artesanato, da linha de alimentos, de cuias  é uma forma de exposição, ao mesmo tempo que é de vender e influenciar economicamente a região, para impulsionar a bioeconomia na região”.

O evento ECO ECO ocorrerá até o dia 11 de novembro, onde terá seu encerramento uma visita à Flona do Tapajós, localizada próximo a Belterra, PA. Para mais informações acesse a página no Instagram do XV Encontro Nacional da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.