Sexta, 19 de Julho de 2024
Cultura Evento

Festival TPM - Tudo Pelas Mulheres realiza sua IV edição em Santarém, oeste do Pará

A organização do Festival TPM atua com trabalhos sociais às mulheres, e em contribuição a essas atividades propõe a doação de absorventes durante o evento, os mesmos serão destinados às mulheres do sistema prisional que não têm acesso aos direitos básicos e políticas públicas disponíveis pelo Governo.

03/07/2024 às 12h56 Atualizada em 03/07/2024 às 13h16
Por: Conce Gomes Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto divulgação
Foto divulgação

Será realizado no dia 6 de julho, na praça Barão de Santarém, mais conhecida como Praça São Sebastião, a partir das 19h30min, o IV Festival TPM- Tudo Pelas Mulheres. O evento é uma iniciativa de mulheres do rock santareno, que desde 2018 vêm construindo história na cidade, com o objetivo de fortalecer o movimento das mulheres do rock e ocupar espaços dominados por homens.

TPM- Cartaz divulgação Festival TPM 2024

Hoje, o evento amplia espaço para estilos além do rock, e este ano conta com a participação de diversos estilos musicais como carimbó, com o Grupo As Karuanas de Alter do Chão, DJ Rahout de reggae, banda Manos, banda Lady Violeta e a Orquestra Estrelar que vem com duas violoncelistas, além de mostras de vídeos e clipes de produção regional. O Festival acontece este ano com o apoio de incentivo da Lei Paulo Gustavo e parceiros do coletivo que acompanham sua trajetória desde o início.

A organização do Festival TPM atua com trabalhos sociais às mulheres, e em contribuição a essas atividades propõe a doação de absorventes durante o evento, os mesmos serão destinados às mulheres do sistema prisional que não têm acesso aos direitos básicos e políticas públicas disponíveis pelo Governo. Como nos conta Ester Guerreiro, Produção Geral do evento.

“A gente está pedindo essa doação de pacotes de absorventes, é bom ressaltar de cobertura macia, essas doações vão ser destinadas a detentas do sistema prisional feminino. A gente decidiu fazer essas doações porque existe um programa do Governo Federal de acesso à dignidade menstrual para mulheres de baixa renda, onde a pessoa se cadastra, baixa o aplicativo SUS digital, mas mulheres que estão encarceradas não têm acesso a alguns direitos, né? Inclusive elas não têm acesso a esse programa porque elas não poderiam ir numa farmácia pra pegar, por isso a nossa doação é destinada a encarceradas do sistema prisional”.

O primeiro evento TPM aconteceu em 2018 e contou com atividades como rodas de conversa sobre violência e empoderamento feminino, o evento abre espaço também para a movimentação da economia criativa fortalecendo mulheres cis e trans que tem empreendimentos, contribuindo assim com a autonomia econômica das mulheres e promovendo independência financeira como transformação social. Além de realizar o “Bazar Rock” paralelo ao Festival TPM a fim de arrecadar recursos para desenvolver outras ações do coletivo bem como fundos para o próprio festival.

Espaço de exposição para artistas independentes - Foto/ TPM

O que mobilizou as mulheres do rock a realizar seu próprio evento foi ocupar a cena musical com o protagonismo feminino e conquistar respeito, ao qual percebiam que não havia, pois era um espaço dominado por homens. A maioria das meninas criadoras do TPM são musicista da música “underground”, uma cena pequena nesse estilo na cidade de Santarém. Inspiradas no evento que acontece em Belém, chamado “Calcinhas do Metal” , focado na música underground para bandas de mulheres, foi que as coordenadoras do evento na época, criaram o Festival Tudo Pelas Mulheres- TPM.

A ideia surgiu a partir do convite a uma das bandas de meninas que foi tocar em Belém no evento chamado “Calcinhas do Metal”, a partir dessa ideia, em seu retorno para Santarém, as meninas criaram o coletivo e em seguida realizaram o primeiro evento TPM. O nome provém da observação das meninas pelo uso da expressão em relação ao emocional das mulheres em seus ciclos, o que calhou de vir a ser o nome do coletivo, e consequentemente, do evento realizado por elas.

Dentre as idealizadoras estão: Allana Luísa, Andriene Moura, Andy Santos, Naty Reis, Rebeca Marinho e Samara Rafaela.

1º Festival TPM- Integrantes do TPM, banda Moranna e banda Klitoris Kaos 2018 - Foto: arquivo pessoal

O Festival teve uma pausa somente em 2022 e 2023 por motivos pessoais das componentes do coletivo, segundo Ester Guerreiro.

“No ano de dois mil e vinte e dois e dois mil e vinte e três nós ficamos um pouco paradas porque como somos mulheres, sempre foi assim muito difícil e trabalhoso pra gente conseguir fazer isso porque além da gente ser mulher, as mulheres sempre tem mais de um trabalho além do oficial, tem o trabalho doméstico, tem o cuidado com os filhos, às vezes cuidados com os parentes, então assim, muita coisa, muitos motivos pessoais levaram a gente a não conseguir durante um certo tempo realizar mais atividades presenciais”.

Porém, este ano de 2024 o Festival TPM volta com toda força e poder das mulheres, aprovadas no projeto de incentivo pela Lei Paulo Gustavo, o coletivo já tem data marcada para realização do evento.

E assim o Festival TPM vem ganhando espaço na cidade de Santarém, onde as mulheres do rock integrando, hoje, outros diversos estilos musicais, realizam seu IV Festival na cidade, mostrando que “lugar de mulher é onde ela quiser” e abrindo caminhos e inspirando mais meninas e mulheres a ocuparem espaços historicamente negados às mulheres, e fortalecendo o movimento feminista no âmbito cultural e lutando pela justiça e igualdade de gênero e de acesso à Políticas Públicas que atendam as necessidades das mulheres em Santarém- Pará.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.