Segunda, 21 de Junho de 2021 04:02
093991489267
Empate Educação

Outdoors de Associação de Escolas Particulares espalhados pela cidade pedem volta as aulas, em Santarém

Boletim Covid-19, divulgado pela Prefeitura de Santarém, indica no município que há 47 pessoas internadas.

05/09/2020 10h51 Atualizada há 9 meses
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Foto de outdoor em Santarém - Foto: Tapajós de Fato
Foto de outdoor em Santarém - Foto: Tapajós de Fato

A Associação Santarena de Escolas Particulares (ASSEP) usou um terreno na movimentada Avenida Turiano Meira, além de outros pontos da cidade, em Santarém, Oeste do Pará, com um questionamento um tanto controverso, estampado em outdoor em meio a maior pandemia dos últimos tempos. 

Os casos não param de ser registrados no município, mas a ASSEP traz em seu anúncio publicitário o seguinte texto: “ALÔ SANTARÉM! TUDO LIBERADO, PORÉM ESCOLAS VAZIAS: POR QUÊ?”.

 

Segundo o “Boletim Covid-19” do dia 03/09/2020 divulgado pela Prefeitura de Santarém, só no município há 47 pessoas internadas e 85 em análise, e nos últimos 7 dias mais de 353 casos foram cadastrados e dois óbitos confirmados. 

 

Se atentando a esses fatos registrados e levando em conta que as crianças fazem parte de um grupo que está em constante aproximação com todos os tipos de públicos, e ainda pesquisas que indicam que a maior taxa de crianças, adolescente e jovens são assintomáticas, isso faz delas uma das principais transmissoras uma vez que estas estejam contaminadas com o vírus. 

 

Uma possível volta às aulas nesta situação leva a pensar que essa taxa assustadora de contaminação e óbitos podem crescer ainda mais e acabar arriscando a vida de pessoas que evitam o contato social, mas que continuam tendo acesso a essas crianças que acreditam não estar contaminadas em suas casas. 

 

Tendo como exemplo bem próximo o estado do Amazonas que no dia 10 de agosto liberou a volta as aulas dos alunos do ensino médio para as escolas, as consequências dessa decisão do governo foram mostradas a todos. Duas semanas depois da reabertura parcial das escolas, o El Pais publicou uma reportagem com o relatório de contaminação pós volta as aulas, “A informação é da Fundação de Vigilância em Saúde do Estado, que fez a testagem rápida com 1.064 profissionais da educação em atividade nos colégios nesta semana: 342 resultaram positivo, 104 deles, ou quase 10%, com o vírus ainda ativo.” Os estudantes estão com medo, pois estão vendo as pessoas voltarem a morrer constantemente. 

 

São números alarmantes como esses em um dos estados em que mais morreram pessoas com o vírus que devem levar as pessoas a pensar e entender que elas estão mais seguras em suas casas. Após queda nos números de contaminados o governo se acomodou nas medidas de contensão aumentando o fluxo de pessoas nas ruas e isso fez com que as estatísticas de pessoas com covid-19 subissem novamente colocando em risco aqueles que sobreviveram a crise anterior.

 

Fazendo um paralelo do estado do Amazonas com o município de Santarém, as pessoas devem ser conscientes de que tomando atitudes desesperadas podem colocar em risco a vida não só dos profissionais e alunos, mas também daqueles que estão em contato com eles. Uma atitude egoísta neste momento crucial que estão todos vivendo pode levar com que as possíveis melhoras nos números de infectados demorem ainda mais para aparecer.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.