Segunda, 21 de Junho de 2021 03:34
093991489267
Amazônia produção

Cooperativa dos povos da Calha Norte do Pará comercializa 3.5 toneladas de cumaru com apoio do Imazon

Criada em 2019, com sede em Oriximiná, região Norte do Pará, a cooperativa visa fortalecer o extrativismo na região

15/04/2021 14h12 Atualizada há 2 meses
Por: Tapajós de Fato

 

A Cooperativa Mista dos Povos e Comunidades Tradicionais da Calha Norte (Coopaflora) comercializou 3,5 toneladas de sementes secas de cumaru na safra de 2020, com coleta realizada entre agosto e outubro. O valor movimentado foi de 177,8 mil reais durante esse processo. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (12) e é uma maneira de prestar contas sobre as ações da cooperativa. 

Criada em 2019, com sede em Oriximiná, região Norte do Pará, a cooperativa visa fortalecer o extrativismo na região. Atualmente, ela recebe assistência técnica do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) para a comercialização de produtos não madeireiros oriundos da floresta. Segundo Rogério Pereira, diretor-presidente da Coopaflora, além do cumaru, os membros também atuam na coleta da castanha-do-pará e da copaíba. “A nossa safra é coletada de acordo com as demandas das empresas compradoras, possibilitando a venda sem o atravessador e renda constante”, explica. O lote de cumaru foi comercializado para uma empresa inglesa para utilização em produtos cosméticos e medicinais. 

Para o aperfeiçoamento das práticas comerciais, foram utilizadas metodologias participativas de organização da produção com objetivo de consolidar parcerias entre produtores e compradores, mesmo com as adversidades enfrentadas devido à pandemia da Covid-19. Rogério diz ainda que o volume de cumaru comercializado pelas populações tradicionais da Calha Norte vem se destacando nesta articulação entre as comunidades locais e a empresa de cosméticos, mostrando o potencial de geração de renda dos recursos da floresta.

A articulação comercial possui o solo da iniciativa Origens Brasil - uma rede que promove negócios sustentáveis na Amazônia em áreas prioritárias de conservação, com garantia de origem, transparência, rastreabilidade da cadeia produtiva e o comércio ético. “Assim é possível a valorização dos extrativistas, através do aumento do preço da produção, bem como a consolidação de entrepostos comerciais locais que possibilitam o pagamento no ato da entrega do produto”, explica Rogério. 

De acordo com a pesquisadora do Imazon que coordena os projetos na região Norte do Pará, Jakeline Pereira, as assistências estão sendo realizadas de forma remota para garantir a segurança sanitária de todos os envolvidos. “Como não conseguimos mais chegar às comunidades, apoiamos as instâncias locais para que elas realizem o trabalho de organização interna, como reuniões e assembleias com os associados e também as articulações necessárias para a venda dos produtos”, informa. 

Sobre a Coopaflora

A Coopaflora foi criada em 2019 para viabilizar o escoamento da produção extrativista e da agricultura familiar nos diferentes territórios do Norte do Pará, a partir da necessidade de uma estrutura comunitária para ampliar o volume de oferta para empresas, além de reforçar a união dos grupos étnicos na defesa dos seus territórios.

Apesar de recém-criada, os membros da Coopaflora possuem larga experiência no território bem como conhecimento dos gargalos e limitações das cadeias produtivas. Ainda nos últimos anos vem realizando operações de comercialização de produção de castanha-do-pará, pimenta indígena, copaíba e cumaru, via selo “Origens Brasil”. Atualmente sua abrangência inclui três grupos étnicos (quilombolas, indígenas e assentados), nos municípios de Alenquer/PA, Oriximiná/PA e Nhamundá/AM.

Sobre o Imazon

O Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia foi fundado em 1990 e, desde então, se tornou referência internacional em pesquisas sobre o desenvolvimento sustentável na região. A organização possui quase 800 estudos publicados e tem experiências na garantia da sustentabilidade na Amazônia. Há 13 anos, o Imazon atua na implementação de Áreas Protegidas na região da Calha Norte, no Pará.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: Facebook, Instagram e Twitter.

Acesse também ao Podcast Tapajós de Fato.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.