Segunda, 21 de Junho de 2021 04:14
093991489267
Educação Educação

Professores de Mojuí dos Campos organizam carreata para reivindicar direitos

Carreata acontecerá domingo dia 25 de abril e será mais uma tentativa dos professores de ter seus direitos.

23/04/2021 16h06 Atualizada há 2 meses
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Professores de Mojuí dos Campos organizam carreata para reivindicar direitos

 

Neste domingo, dia 25 de abril, acontecerá no município de Mojuí dos Campos, uma “Carreata de Resistência” em favor dos professores, que estão reivindicando seus direitos que foram tirados pelo atual prefeito Marco Antônio Lima (MDB). A série de protestos iniciou no dia 18 de janeiro com a greve dos professores que continua até hoje, e seguiu com movimentos em frente a prefeitura e em frente ao lugar de reuniões do prefeito. Desde que começou a ser procurado pelos professores, o prefeito não tem dado atenção a eles, pelo contrário, tem feito com que eles protestem debaixo de sol e chuva sem oferecer abrigo, água, atenção ou o mínimo de respeito que é o que essa classe trabalhadora mais merece.

O tapajós de Fato tem acompanhado desde o início essa busca dos professores de Mojuí do Campos por seus direitos, para saber mais:

Professores de Mojuí grevam contra redução de seus salários

Professores de Mojuí dos Campos fazem atos contra perda de direitos

 

O Tapajós de Fato conversou com a professora Rosimery Sousa que relatou sobre como anda o processo em busca de seus direitos, e fez um convite a todos que compartilham sua indignação queiram apoiá-los nessa reivindicação democrática.

A professora começou falando que a carreata é para chamar atenção da população e mostrar o quanto a sua classe está revoltada, para expor mais uma vez o decreto que o prefeito criou cortando 50% da carga horaria dos professores e tirando os 33% da hora atividade deles, relatou também que o corte de 50% do seu salário também está afetando a economia do município.

 

 

Ao ser questionada sobre como está o processo em busca dos seus direitos, Rosimary relatou “Já fomos ao Ministério Público, ao Fórum, já fizemos reunião com os pais que fazem parte dos conselhos escolares, e tudo que nos foi aconselhado a fazer pelos advogados estão sendo feitos”.

Ela acrescentou que o prefeito não tem dado a mínima chance de diálogo a eles, e explicou “De forma alguma o prefeito tem nos dado atenção, não tem nenhum diálogo, não atende ligações, e-mail ou mensagens. Já fomos para frente da secretaria de Educação, da Câmara, da prefeitura, e nada”, e informou que fizeram uma vista a SEMGA onde o prefeito se encontrava naquele momento, e o mesmo pediu que o seu advogado pegasse de volta as cadeiras onde estavam sentados e deu a ordem que se retirassem de lá, e que não poderiam ficar ali naquele local pois era proibido, e segundo as palavras da professora “mas, ele fez isso de uma forma humilhando todos nós que estávamos ali”. A única resposta dada pelo prefeito, foi indo em uma emissora de rádio em Santarém onde ele chamou os professores de “marajás” e disse que eles querem apenas enriquecer, além de fazer memes dos professores e colocar em suas redes sociais.

A professora encerrou fazendo um convite aos pais, vereadores, advogados, professores e a população em geral para os apoiarem em busca da reivindicação de seus direitos e de uma educação melhor e uma sociedade mais justa e democrática.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.