Segunda, 21 de Junho de 2021 03:43
093991489267
Saúde Saúde

Na semana da enfermagem, atos marcam a luta dos profissionais por seus direitos

Em várias cidades do Pará, protestos e carreatas foram feitos.

12/05/2021 17h25
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Na semana da enfermagem, atos marcam a luta dos profissionais por seus direitos

No dia 12 de maio, é comemorado o dia internacional da enfermagem, e no dia 20 de maio, é comemorado o dia do auxiliar e do técnico de enfermagem, portanto, neste período se comemora a semana da enfermagem, um momento para homenagear e parabenizar esses heróis da saúde que têm um papel muito importante na sociedade, principalmente nesses tempos de pandemia.

Contudo, a realidade é que esses profissionais já tinham um papel fundamental mesmo antes da pandemia, porém, eram desvalorizados por pessoas que os diminuíam em função de exaltar apenas os médicos, todavia, durante a pandemia, o trabalho árduo desses profissionais da enfermagem ficou mais evidente.

O fato é que todos os profissionais da saúde incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem e parteiros, têm seu mérito e merecem seu reconhecimento, pois todos são fundamentais em cada função que ocupam, porém, se todos são fundamentais, por que é tão grande a diferença de respeito recebido entre eles tanto por alguns pacientes quanto pelo governo?

O valor mínimo de remuneração estabelecido pelo sindicato para os médicos brasileiros em 2020 é de R$15.274 para 5h de trabalho diário. Enquanto isso, há enfermeiros, auxiliares ou técnicos que trabalham ganhando dois salários mínimos por mês, eles trabalham em péssimas condições de trabalho, se expõem a muitos riscos ocupacionais, e tudo isso é injusto com esta classe que hoje é vista como heroína, mas que não é valorizada como deve.

Esses heróis da saúde têm família para sustentar e contas para pagar, e devido ao descaso do governo, eles são obrigados a trabalhar em 2 ou 3 lugares diferentes, para conseguirem dar conta de tudo, muitas vezes deixando de passar seu tempo com quem ama ou se divertindo para poderem trabalhar, muitas vezes passando noites fora de casa, cuidando de pessoas e salvando vidas.

E são esses profissionais, que hoje foram as ruas no Pará reivindicarem seus direitos, em busca de um piso salarial digno e uma carga horária justa. O projeto de lei n° 2564, de 2020, altera a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, para instituir o piso salarial nacional do Enfermeiro, do Técnico de Enfermagem, do Auxiliar de Enfermagem e da Parteira. Essa PL acrescenta na lei os termos dizendo que o piso salarial nacional para os Enfermeiros deve ser de R$ 7.315,00 (sete mil, trezentos e quinze reais) mensais, com base em uma jornada de trabalho de 30 (trinta) horas semanais, acrescentando o piso salarial de setenta por cento desse valor para o Técnico de Enfermagem, e cinquenta por cento para o Auxiliar de Enfermagem e para a Parteira.

O Tapajós de Fato conversou com a enfermeira Marcela Tolentino que falou sobre a importância de manifestar essa luta dos profissionais nesta época em que todos estão com os olhos voltados para a área da saúde “a importância desse protesto é de sensibilizar, e nesta pandemia a sociedade visualizou melhor o quanto a nossa saúde tem deficiência, e a importância dos profissionais que estão ali, e muitos morreram por se arriscarem salvando outras vidas”, Marcela destacou também a dedicação dos profissionais em cuidar dos pacientes não só fisicamente, mas também ajudando-os psicologicamente em momentos cruciais e encerrou “e estamos aqui também aproveitando essa visibilidade para externar nosso sentimento de ingratidão por parte do governo, e de não-reconhecimento. A enfermeira falou que o projeto de lei está em estância federal e precisa da aprovação de senadores para que a lei entre em vigor.

Nessa semana tão importante, esses profissionais merecem mais do que agradecimentos, merecem condições dignas de trabalho, merecem um salário justo e merecem ser valorizados por cumprirem um papel tão necessário para a sociedade.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.