Segunda, 21 de Junho de 2021 03:52
093991489267
Reportagem Especial Reportagem Especial

29M: Protesto contra Bolsonaro é realizado em Santarém

No 29 de maio, ocorreram em todas as regiões do Brasil, manifestações contra o governo Bolsonaro. Em Santarém, o ato foi organizado por entidades, sindicatos e a sociedade civil.

30/05/2021 11h46 Atualizada há 3 semanas
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Fotos: @leonardomilano /@jornalistaslivres
Fotos: @leonardomilano /@jornalistaslivres

A manifestação iniciou por volta das 17:30h, os manifestantes concentraram-se, inicialmente, na Praça de Eventos localizada na avenida Anísio Chaves, bairro Aeroporto Velho e em seguida caminharam por esta mesma avenida até o prédio da prefeitura do município, onde gritavam palavras de ordem como: Fora Bolsonaro; Bolsonaro genocida!

Fotos: @leonardomilano /@jornalistaslivres

Os santarenos foram às ruas por vários motivos. Denunciar o negacionismo do Governo Federal com a sociedade brasileira, a não eficácia do tratamento precoce com Cloroquina, pedir auxílio emergencial de R$ 600,00 até o final da pandemia, demonstrar inquietação pelo fato do governo ter recusado mais de dez ofertas formais de vacinas. “O fato de ter negados vacinas por diversas vezes mostra a necessidade de estarmos, hoje, no 29 de maio nas ruas para mostrarmos nossa insatisfação” – comentou, Pedro Martins, assessor jurídico da Terra de Direitos.

Cobraram também a aceleração do processo de imunização da população; defenderam o direito à vida, o meio ambiente, os direitos dos negros e dos povos indígenas. Como comentou a indígena Tainara Tupayú, do Povo Tupayú da região do rio Arapiuns, “o Bolsonaro deveria olhar mais para as causas indígenas. Fazer mais demarcações das nossas terras, e pela vacina também, pelos nossos idosos indígenas nas nossas aldeias que demorou muito, já era pra ter chegado, agora tem, mas infelizmente não está chegando a todos os indígenas”.

A juventude se fez maioria na manifestação do 29 de maio. A estudante do Ensino Médio Manoele Cristina falou que “ o movimento está mostrando o quanto é importante lutar, lutar pela vacina, lutar pelos negros, lutar pelos indígenas. Apenas lutar! Porque enquanto a gente não ficar com a consciência de que o Bolsonaro não quer o nosso bem, nenhum desses políticos querem o nosso bem, eles só estão se importando com eles mesmos não estão nem aí pela periferia, sendo que são quem realmente estão precisando. Tem gente que passa fome por dias sem ter o que comer, enquanto tem uns se favorecendo com o dinheiro do povo”.  O que demonstra a insatisfação dos indivíduos de todas as faixas etárias, desconstruindo o conceito que jovens não se importam com a política, pelo contrário, a juventude acordou! E está impulsionando as lutas por todas as regiões do país.

Fotos: @leonardomilano /@jornalistaslivres

O movimento ocorreu de forma pacífica, encerrando por volta das 19h com uma homenagem para as mais de 450 mil vidas brasileiras perdidas em decorrência da Covid-19.  

Este foi a primeiro de uma série de eventos que irão acontecer em Santarém pedindo a saída do governo Bolsonaro e a responsabilização ao governo pelas perdas irreparáveis de milhares de brasileiras e brasileiros. Uma nova manifestação já está marcada para acontecer dia 10 de julho.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.