Segunda, 21 de Junho de 2021 04:29
093991489267
Amazônia Meio ambiente

E se o açaí acabar?

Estudo realizado por quatro universidades brasileiras apontam que devido ao avanço das mudanças climáticas, o açaí, a andiroba, copaíba, seringueira, cacau, cupuaçu e a castanha-do-Pará podem acabar até 2050.

05/06/2021 10h02 Atualizada há 2 semanas
Por: Tapajós de Fato
E se o açaí acabar?

A pesquisa foi desenvolvida pela Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Nela, os pesquisadores apresentam que algumas espécies de palmeiras e árvores que constituem a gama básica do extrativismo na Amazônia estão ameaçadas de extinção, em decorrência das drásticas mudanças climáticas que vêm afetando o planeta nas últimas décadas.

O açaí, a andiroba, copaíba, seringueira, cacau, cupuaçu e a castanha-do-Pará, que são alguns dos bens naturais que garantem a alimentação e a sobrevivência econômica das populações tradicionais da floresta amazônica, podem ter suas produções na natureza reduzidas ou até mesmo extintas nos próximos 30 anos, como aponta o estudo.

Para chegar a esses resultados os cientistas avaliaram os fatores climáticos dos ambientes onde essas espécies são encontradas, tais como: temperatura, umidade, tipo de solo, bem como outras características dos ambientes. A Resex Tapajós-Arapiuns, localizada no município de Santarém, foi umas das áreas onde a pesquisa foi desenvolvida, os cientistas falam que nela ainda não há perdas tão significativas como em outras regiões da Amazônia que foram pesquisadas, mas que deve sim haver preocupações pois a quantidade de pescado da região santarena já apresenta queda.

Publicado no periódico internacional Biological Conservation, em abril de 2021, o estudo alerta que a importância desses tipos de diagnósticos se dá porque podem pautar políticas de conservação para proteger as espécies que já estão em risco eminente de extinção, bem como as demais espécies da Amazônia.

Estratégias para barrar o avanço das mudanças climáticas na Amazônia também são apresentadas nesse estudo, os acordos globais do clima, o fim do desmatamento e das queimadas são algumas das medidas apontadas.

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.