Segunda, 26 de Julho de 2021 17:10
093991489267
Amazônia Amazônia

Agricultoras familiares de Santarém se reinventam durante pandemia

A feira das mulheres é uma forma delas se reaproximarem de seus clientes.

06/07/2021 17h32 Atualizada há 3 semanas
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Foto: Tapajós de Fato
Foto: Tapajós de Fato

A região do Tapajós é um lugar rico em se tratando de recursos naturais, além de ter terras boas para o cultivo, por esse motivo a agricultura familiar tem sido a base da economia de muitas famílias, desde as que moram na cidade, até as que moram em regiões mais afastadas.

E muitas mulheres que têm o conhecimento do cultivo, têm começado a pegar os seus produtos que são cultivados na sua terra, e criar o seu negócio e a empreender utilizando essas mercadorias.

E essas mulheres têm se unido com outras mulheres, e juntas elas criaram uma feira que vende apenas produtos produzidos por mulheres. Com a pandemia, essa pequenas agricultoras foram muito prejudicadas, pois com o lockdown e com as outras medidas para conter o coronavírus, todas elas tiveram que ficar em casa para manter o isolamento, e isso as distanciou de seus clientes, e sem sua principal fonte de renda, essas mulheres passaram por muitas dificuldades.

Uma pesquisa feita com 131 negócios comunitários mostrou que 80% dos participantes não têm condições financeiras de manter suas operações, e isso mostra como os agricultores e agricultoras familiares foram afetados.

Com a chegada da vacina, e respeitando todas as normas de prevenção contra a Covid-19, essas pequenas produtoras tiveram a permissão da justiça para voltar às suas vendas, porém, muitos clientes continuam evitando as feiras, pois a doença ainda existe, então muitos ainda evitam sair de suas casas para ir em lugares com aglomerações.

Com a intenção de facilitar a compra para seus clientes, as mulheres da Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais de Santarém (AMTR-STM) se colocaram em lugares estratégicos na cidade, onde não há aglomeração, para colocar seus produtos à venda sem colocar em risco o consumidor.

Em conversa com o Tapajós de fato, dona Edilena, como é conhecida, trabalhadora rural da comunidade de São Francisco, região do rio Arapiuns, falou sobre a iniciativa da feira das mulheres “ Nós da AMTR pensamos em uma maneira de trazer os produtos da zona rural para a zona urbana, então, estamos com a nossa feira que tem o tema “da terra para a mesa” em 3 pontos dentro de Santarém”.

 

Edilena disse ainda que as feiras estão acontecendo 3 dias na semana, quinta, sexta e sábado, seguindo a tabela:

 

Quinta-feira

Igreja do Santíssimo

Sexta-feira

Liberdade, próximo a igreja Perpétuo do Socorro

Sábado

Praça São Sebastião

 

Segundo Edilena, a feira de mulheres tem recebido muitos apoios de igrejas independente da religião, e que seus produtos cultivados sem agrotóxico são opções para quem quer ter uma vida mais saudável colocando em sua mesa o melhor que a terra dá.

Foto: Tapajós de Fato

 

Ivete Bastos, Presidenta da AMTR, também conversou com o Tapajós de Fato sobre a feira das mulheres: "O objetivo maior do projeto com a FBB foi fortalecer a autonomia financeira da mulher e a produção agroecológica. Então criamos 4 polos produtivos, nem tudo deu certo, mas mesmo assim nos reinventamos no sentido de levar ao consumidor a produção diversificada da agricultura familiar”. Ivete Bastos ressalta que a feira já está dando certo, e que a tendência é só melhorar pois as mulheres cada vez mais vão se estimulando a produzir, com a pretensão de tornar esses espaços permanentes e que respondam às necessidades de nossa clientela.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

 

Acesse ainda o Podcast Tapajós de Fato.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.