Segunda, 27 de Setembro de 2021 00:43
093991489267
Reportagem Especial Notícias

Prefeito de Santarém tentar intimidar lideranças após protesto em decorrência de incêndio no lixão do Perema

Lideranças formam comissão, criam documento com várias assinaturas e agendam uma reunião com o Ministério Público.

28/07/2021 21h38
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Prefeito de Santarém tentar intimidar lideranças após protesto em decorrência de incêndio no lixão do Perema

 

 

Nesta terça-feira (27), o Tapajós de Fato trouxe informações sobre uma denúncia feita por alguns moradores que residem próximo ao lixão da Comunidade Perema, sobre uma queimada que vem  persistindo há meses no local. A fumaça tem afetado as famílias da área que ficam o dia todo com as casas trancadas por conta do chorume, segundo os moradores da área, o forte odor causado pelo pelo lixo e pela queimada que tem causado dor de cabeça, falta de ar e vermelhidão nos olhos, e faz muito mal em casos de inalação em excesso, os idosos e as crianças principalmente têm sofrido com esse incêndio. 

A UPA e o Hospital Municipal de Santarém HMS)  há dias tem recebido pacientes com esses sintomas citados acima, por conta desse incêndio, e mesmo assim nenhuma autoridade fez algo a respeito.

 

E para mostrar a indignação da população às autoridades, nesta quarta-feira (28), aconteceu uma manifestação na rodovia Curuá-Una que leva ao lixão do Perema onde moradores da região, membros da paróquia São Paulo apóstolo, membros do movimento social e todos aqueles que se mostraram indignados com a forma como a população das comunidades vizinhas ao lixão foram tratadas bloquearam a entrada dos caminhões com lixo não permitindo que nenhum entrasse até que alguma medida fosse tomada em relação ao incêndio.

 

O Tapajós de Fato conversou com Regina Brito que é moradora do bairro Jacamim, área próxima ao lixão, e que relatou um pouco sobre como está a situação dos moradores: “Nós estamos sofrendo com essa fumaça que não para há mais de 3 meses e nenhuma autoridade toma nenhuma providência, as atividades continuam normalmente como se nada tivesse acontecendo, os caminhões de lixo vêm todos os dias trazendo todo tipo resíduo, inclusive lixo hospitalar sem nenhum tipo de tratamento, para ser despejado sem qualquer cuidado com o meio ambiente”.

 

A moradora também conta muitos moradores têm passado mal com a fumaça que é tóxica, e além disso, a situação dos hospitais da cidade de Santarém não é boa por estar passando por um período de transição na administração depois que o prefeito Nélio decidiu terceirizar a saúde no município, que ao invés de melhorar, a cada dia gera mais reclamações sobre o estado dos hospitais. Por essa razão, a maioria das pessoas que passam mal por causa da fumaça ficam sem opção, pois a maioria delas não têm condições de ir até um hospital particular.

 

O Tapajós de Fato entrou em contato também com o Conselho Municipal de Saúde por meio da presidenta Gracivane Rodrigues que estava presente no ato e relatou um pouco sobre o caso “Nós do movimento social estávamos reunidos em defesa da população que está sofrendo com este descaso do prefeito Nélio para com eles. Estamos indignados porque esse local era para ser um aterro sanitário, mas, é um verdadeiro lixão a céu aberto. Nós enquanto Conselho Municipal de Saúde nos colocamos à disposição dos moradores para exigir que algo seja feito”.

 

Vendo as medidas tomadas por essas lideranças, o prefeito de Santarém Nélio Aguiar, usou de sua autoridade para intimidá-las mandando áudios acusando-as de politicagem, quando na verdade estavam apenas defendendo o interesse do povo. O prefeito também usou de força policial para coibir os manifestantes que resistiram e continuam até momento indeterminado fechando a entrada do lixão.

 

As lideranças das comunidades próximas ao lixão formaram uma comissão juntamente com representantes do Conselho Municipal de Saúde e do Conselho Municipal de Saneamento, e com ajuda do vereador Biga Kalahare já agendaram uma reunião com Ministério Público para segunda-feira (02) para resolver não só o problema da queimada, mas também para alguma coisa ser feita em relação ao local, pois um lixão a céu aberto deveria mais existir em uma cidade como Santarém. Para que esse problema do lixão acabe, foi feito um documento contendo várias assinaturas de moradores e dos conselhos de saúde e de saneamento para a retirada do lixão da sua localidade atual a fim de ser feito um aterro sanitário que não prejudique a população de nenhuma forma.

 

 

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter. 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.