Quinta, 02 de Dezembro de 2021 01:56
093991489267
Cultura Cultura

As Karuana: conheça o grupo musical formado por mulheres indígenas

O Coletivo usa a música como instrumento de luta e resistência.

27/10/2021 16h06 Atualizada há 1 mês
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
As Karuana: conheça o grupo musical formado por mulheres indígenas

 

 

 

Desde a chegada dos colonizadores ao Brasil, os povos originários têm lutado para manter não só a sua sobrevivência, mas também a de sua cultura e de seu território. Com toda exploração presente em todo o país por todos esses anos, o território brasileiro já perdeu inúmeras espécies presentes tanto na fauna como na flora, e isso tem causado um desequilíbrio ambiental que consequentemente afeta todo o planeta.

 

E além de toda essa perda histórica, com o governo atual no poder, uma série de Projetos de Lei têm sido propostos, e criados para que o pouco território que restou a esses povos, seja retirado para que essa exploração continue. E com a perda dessa floresta, os povos indígenas perdem também sua cultura e sua identidade.

 

E como um movimento de resistência, o coletivo As Karuana foi criado em 2019 apenas por mulheres indígenas para fazer frente a toda essa forma errada de de falso desenvolvimento. Em conversa com o Tapajós de Fato, Neila Borari, que faz parte do coletivo, fala sobre o grupo e seus objetivos “O coletivo é um grupo musical que tem o objetivo de elevar e levar a voz das mulheres indígenas para o mundo em proteção e preservação das águas e das florestas e dos direitos dos povos originários, além da resistência cultural e luta pelo bem viver”.

 

 

O último trabalho do coletivo foi o clipe chamado Borari que em menos de um mês já recebeu mais de 2 mil visualizações apenas no YouTube, o que dá ainda mais visibilidade a essa luta. Neila conta também sobre esse novo trabalho do grupo e o contexto a que ele se aplica “sabemos que em Alter do Chão com o povo borari, aconteceu uma das maiores missões jesuíticas, talvez por uma questão geográfica da vila, e com a colonização, muito da nossa cultura foi perdida, mas não toda ela”. 

 

Segundo Neila os  costumes e crenças ainda vivem e resistem nas memórias do povos Borari,  assim como de todos os povos originários do Baixo Tapajós, e disse ainda “sempre estamos vivendo e   reafirmando o que vive em nós por meio da música, para que nossas vozes cheguem mais longe, pois nosso bem viver depende das florestas em pé e dos rios, lagos e igarapés vivos.

 

E para isso todas as mulheres karuana têm assumido papel de extrema importância na defesa de seus territórios, para que essa luta não acabe, mas que permaneça enquanto for necessária.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.