Quarta, 01 de Dezembro de 2021 23:50
093991489267
Cultura Sabedoria que cura

Em Santarém, documentário “Erveiras” conta histórias de duas mulheres que ajudam a curar a partir de plantas

Contemplado na Lei Aldir Blanc de Cultura Popular, o curta-metragem entrevistou erveiras do Mercadão 2000 e de Alter do Chão.

31/10/2021 11h03 Atualizada há 1 mês
Por: Tapajós de Fato Fonte: Muruci Produções
Cartaz Erveiras - A cura vem das plantas
Cartaz Erveiras - A cura vem das plantas

Profissionais que atuam na Cultura no município de Santarém lançam na próxima segunda-feira (01/11), às 19h, o documentário “Erveiras – A cura vem das plantas”.

 

O curta-metragem, com duração aproximada de 15 minutos, retrata as histórias de duas mulheres de Santarém que ajudam a curar as pessoas, por meio das plantas.

 

Conhecidos também como remédios naturais ou fármacos alternativos, as crenças sobre ervas e plantas sempre atraem a atenção de quem busca a cura, seja física ou espiritual.

 

Em Santarém, dois nomes são procurados por quem visita à cidade. A produtora e cultivadora de plantas e ervas, Maria Luciene Gama Santos, do espaço Katumawa Iwí, da Vila de Alter do Chão e a vendedora de produtos no Mercadão 2000, Adalgiza Silva Oliveira.

 

Ambas são interlocutoras do documentário e compartilham no audiovisual ensinamentos sobre os produtos que confeccionam, que vão de banhos a garrafadas que podem ser ingeridas, seguindo um ritual específico.

 

O audiovisual é inspirado no espetáculo de teatro de Diego Alano Pinheiro, “As Mocorongas”, que retratou em 2012 as histórias de personagens comuns de bairros de Santarém, entre elas: A Regueira da Cohab, A Sofrida do Jaderlândia, A Vidente da Aparecida e também a que deu o título ao documentário “A Erveira do Mercadão”.

 

O curta-metragem foi contemplado com o edital da Lei Aldir Blanc de Cultura Popular e tem como proponente a atriz e universitária Bianca Almeida.

 

“Nesse curta-metragem, utilizamos a linguagem do documentário para apresentar um pouco do trabalho de erveiras de nossa região. A partir de agora, teremos eternizado na história de Santarém, um registro de nossa gente, nossa memória e as crenças que estão presentes na cultura popular e no imaginário amazônico”, destaca Bianca.

 

O filme foi produzido pela Muruci Produções e seguiu todos os protocolos sanitários e de biossegurança recomendados pelas autoridades de saúde.

 

A estreia ocorrerá  no dia 1º de novembro, a partir das 19h, no canal da Muruci Produções no Youtube (https://bityli.com/erveiras).

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

Acesse ainda o Podcast Tapajós de Fato

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.