Quinta, 02 de Dezembro de 2021 00:08
093991489267
Reportagem Especial Solidariedade

Dia do Doador de Sangue: um gesto simples que salva vidas

“Para quem doa são apenas alguns minutos, para quem recebe é uma vida inteira”.

25/11/2021 11h09
Por: Tapajós de Fato
Dia do Doador de Sangue: um gesto simples que salva vidas

No Brasil, a data comemorativa do Dia do Doador de Sangue  foi instituída pelo Decreto nº 53.988 em 1964, considerando que a doação voluntária de sangue é ato em que se manifesta da forma mais significativa, o sentimento da solidariedade humana.

Já a Organização Mundial da Saúde criou o Dia Mundial do Doador de Sangue  em 2004, e o principal objetivo é de  sensibilizar para que mais pessoas possam se tornar doadores de sangue  no mundo, tomando consciência da importância da doação de sangue.

 

Quem pode doar

Pessoas com peso de, no mínimo, 50 quilos; ter entre 18 e 69 anos. Também podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal.

 

Quem não pode doar

Quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade; mulheres grávidas ou amamentando; pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como aids, hepatite, sífilis e doença de chagas; usuários de drogas; aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos.

 

Relatos de doadores

Marcilene dos Santos, professora da rede pública de ensino em Santarém, conta que sempre foi doadora de sangue, mas  costumava doar sempre que alguém postava algo falando que estava precisando. Mas com a campanha feita pelo Sindicato dos Profissionais de Educação de Santarém (SINPROSAN) começou  a ser uma “doadora assídua”.

 

Marcilene conta  que hoje já não pode mais doar sangue, a professora falou que depois que adoeceu não pôde mais continuar fazendo seu gesto solidário. "Infelizmente, desde 2019, eu não doei mais  sangue porque tomo remédio  de uso contínuo”. Ela fala que isso a deixou “muito triste, porque doar sangue, além de ser um ato de solidariedade, é também um ato de amor ao próximo"  Marcilene conta que mesmo não podendo mais doar, ela continua apoiando a causa divulgando quando alguém precisa de sangue e incentivando,  para as pessoas que podem, doem sangue.

 

Outra história bacana para ser contada é a iniciativa dos ‘Bloco dos heróis’ que realizaram a campanha  “Herói doa sangue”, em 2020, o grupo iniciou com integrantes do próprio Corpo de bombeiros e conseguiu levar  149 pessoas até o Hemopa, e destas, 141 estavam aptas para doar sangue.

Os Heróis do Bloco  é uma iniciativa popular, que teve início em 2012, com a organização de militares do corpo de bombeiros que viam no carnaval apenas o sinônimo de trabalho em decorrência dos serviços que o corpo de bombeiros disponibiliza à sociedade durante todo o ano, mas, sobretudo no período do carnaval. “Vimos a necessidade de criar possibilidade de diversão para os familiares e militares do corpo de bombeiros” disse Elias Júnior,  um dos criadores do grupo.

 

Ao Tapajós de Fato, Elias Junior  falou do sentimento em ajudar ao próximo. Confira o texto:

“Sou Elias Júnior, servidor público do estado - Corpo de Bombeiros Militar do Pará e Embaixador do Bloco dos Heróis, organização independente, sem fins lucrativos, patrocínios ou vínculos políticos partidários, que há 10 anos realiza ações sociais em Santarém e  região.

Através do Bloco dos Heróis realizamos periodicamente a Campanha Herói doa Sangue, como forma de prestarmos nosso apoio ao hemocentro de Santarém nesta nobre missão que é, salvar vidas.

Somos conscientes da demanda que o Hemopa precisa suprir em todo o Oeste do Pará e que precisamos dividir com eles essa responsabilidade.

Nosso sentimento em abraçar essa causa, é de estarmos cuidando e amparando nossos semelhantes, estarmos fazendo nossa parte, seguindo um dos preceitos do nosso  criador. Não se trata de benevolência. Se trata de responsabilidade para com quem precisa e amor ao próximo. 

Então, apoie você também, essa missão. Se você já é doador, continue e se ainda não é, comece esse exercício de solidariedade e respeito à vida. Se não pode doar, faça essa mensagem chegar a um doador potencial, para que ele possa tornar-se um doador efetivo.

Para quem doa são apenas alguns minutos, para quem recebe é uma vida inteira”.

 

Acesse as redes sociais do Tapajós de Fato: FacebookInstagram e Twitter.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.