Sábado, 22 de Janeiro de 2022
Notícias Aumento

Petrobras anuncia reajuste no preço da gasolina e do diesel a partir de 12 de janeiro

O preço médio de venda da gasolina nas distribuidoras deve passar de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro;já para o diesel, o preço médio deve passar de R$ 3,34 para R$ 3,61, por litro.

11/01/2022 às 17h25 Atualizada em 11/01/2022 às 18h15
Por: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Petrobras anuncia reajuste no preço da gasolina e do diesel a partir de 12 de janeiro

 

O novo reajuste anunciado na tarde desta terça-feira (11),  pela  Petrobrás é para a gasolina e o diesel  os novos valores passam a valer nesta quarta-feira (12). O último aumento foi em outubro de 2021 e se manteve até dezembro. No ano passado a gasolina teve um aumento de 47%, e o ano já começa com um aumento 4.48% nas refinarias a partir de amanhã.

Em Santarém o preço da gasolina está custando em média R$6,86, já o diesel, comum em R$5,82.00. O Tapajós de fato ouviu Edilena Oliveira, moradora da comunidade São Francisco na região do Arapiuns, área ribeirinha do município de Santarém, onde o valor do combustível chega no valor muito maior que na  região urbana.

Edilena relatou ao Tapajós de Fato a gasolina é essencial para se locomover visto que ela é trabalhadora rural  " e aqui onde moro todo nosso meio de transporte é feito de  motor rabeta, para nós se deslocar das nossas comunidades para as outras, e com esses aumentos do combustível somos obrigados a compra. Usamos bastante gasolina, aqui na comunidade está custando, R$8.00 reais o litro". Contou.

Nas regiões mais afastadas da cidade muitas delas não têm acesso à energia  elétrica  24H, as pessoas usam motores pessoais ou comunitários. A moradora relatou que," na comunidade não tem energia. Usamos um motor em casa somente à noite, pois se usamos todo o dia não tem dinheiro para comprar combustível, com esse novo aumento anunciando o preço só vai aumentar, se já está nesse valor, nós vamos ter  que preparar o bolso, que vai ficar bastante caro aqui pra nós".

Dona Edilena è trabalhadora rural, e disse ainda, " aqui nós usamos o motor para cortar a mandioca para a produção da farinha, vendendo um quilo de farinha ainda não dá para comprar um litro de gasolina, é preciso vender mais de um, para poder ter a massa da mandioca para preparar a farinha, se ficar tão cara nós vamos voltar a fazer o que nossos antepassados faziam, cortavam a mandioca no ralo" relatou dona Edilena.

Ralo é um material feito de latas de metal com furos. Com a própria mão fazendo movimento de cima para baixo corta a mandioca".

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.