Quinta, 26 de Maio de 2022
Gênero e Sexualidade Empoderamento

Clube da Luta Feminina e Ufopa iniciam oficina de empreendedorismo para mulheres da periferia de Santarém

A oficina tem como objetivo capacitar as mulheres sobre as diversas temáticas que envolvem o empreendedorismo.

12/03/2022 às 17h07 Atualizada em 12/03/2022 às 17h16
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto: Tapajós de Fato
Foto: Tapajós de Fato

Na manhã deste sábado, (12), iniciou na sede do Clube da Luta Feminina a Oficina de Empreendedorismo realizada pela Universidade Federal do Oeste do Pará-Ufopa através do Programa de Extensão na Comunidade.

A oficina tem como objetivo capacitar as mulheres que participam do Clube sobre diversos temas que envolvem o empreendedorismo, assim colaborando com o fortalecimento individual de cada empreendedora para crescerem com seus negócios.

A importância do trabalho em campo da universidade

O projeto que está sendo executado no Clube é uma iniciativa da Ufopa para fomenta projetos de extensão na periferia de Santarém afim de amenizar os impactos socioeconômicos causados pela pandemia.

No final do ano de 2021 a universidade lançou um edital convidando a comunidade acadêmica a pensar inciativas para os bairros Juá e Salvação, e foi então que professora do curso de Gestão Pública, Giselle Alves, inscreveu o “Projeto Empreendedorismo de Impacto Social: plantando um capital semente na ocupação Bela Vista do Juá”, que passou no edital.


Em entrevista ao Tapajós de Fato ela fala da importância do projeto: “considerando que 70% das perdas de postos de trabalhos afetaram as mulheres, nós pensamos em um projeto para fortalecer iniciativas empreendedoras que pudessem dar condições a essas mulheres gerarem suas próprias rendas, assim tendo autonomia financeira”.

Segundo ela a parceria com o Clube da Luta Feminina foi principalmente por conta do trabalho que a organização já desenvolvia com moradoras do bairro Juá, assim tornando mais fácil a mobilização e também ajudando no fortalecimento das participantes.

A oficina pretende fortalecer as ideias empreendedoras das participantes, e elas passarão por um processo de encubação de empreendimento na universidade, e ao final é esperado que 14 empreendimentos femininos sejam ajudados.

Com a coordenação de Giselle, o projeto também conta com o apoio de acadêmicas bolsistas e voluntárias para a realização das aulas. Para o Tapajós de Fato a acadêmica do curso de Gestão Pública da Ufopa, Rosângela Sales, contou a importância de estar fazendo parte dessa construção.

“Eu como universitária além de estar aqui para orientar, estou para aprender com as participantes, pois é um projeto muito importante para ajudar no crescimento dessas mulheres no mercado de trabalho para gerem suas próprias rendas”.


A oficina é direcionada prioritariamente para as moradoras do bairro Juá, mas algumas participantes são também dos bairros: São Cristovão, Nova Vitória, Salvação.

Clube da Luta Feminina

O Clube é uma organização que busca trabalhar o empoderamento econômico das mulheres que fazem parte dele, através de oficinas gratuitas para que as mulheres possam aprender sobre algo e empreender naquilo para ganhar seu próprio dinheiro e assim alcançar a independência financeira. Com sede no bairro do Santarenzinho, o projeto busca atender principalmente mulheres das grandes áreas do Santarenzinho e Maracanã, e  já formou 3 turmas, sendo elas das oficinas de: Biojoias, Manicure e Pedicure, e E.V.A.


Agora com o apoio da Ufopa o projeto vai contar com mais uma formação, dessa vez mais teórica, a Oficina de Empreendedorismo. A coordenadora do Clube, Isabelle Maciel, fala sobre essa parceria.

“Nós estamos muito felizes com essa possibilidade de ter pessoas da universidade capacitando nossas mulheres, pois já tivemos a formação de três turmas onde elas já têm diversas possibilidades de empreender em algo, e agora ter essa oficina trabalhando principalmente a formação intelectual das participantes é fundamental para elas crescerem enquanto empreendedoras”.

O Tapajós de Fato ouviu também uma das participantes do Clube, Conceição Santos, que é empreendedora e moradora do bairro Juá, ela fala sobre sua visão da proposta da oficina.

“A questão da teoria que é a proposta do curso de empreendedorismo é muito importante para dar um norte para as mulheres que já têm um trabalho empreendedor, e isso contribui para que a gente consiga estruturar nossas atividades e movimentar nossos empreendimentos”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.