Quinta, 26 de Maio de 2022
Cidades Violência

Presidente da ACORJUVE é acusado de ser mandante de agressão no município de Juruti

O presidente teria mandado agredir uma pessoa que teria exposto os processos que ele responde por lavagem de dinheiro e desvio de verbas.

14/03/2022 às 15h10
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto reprodução
Foto reprodução

O caso teria iniciado após uma publicação no portal Povo de Juruti, intitulada “Conheça o Presidente da Acorjuve o "Colecionador" de processos e ações judiciais”, onde são listados os processos que Gerdeonor Pereira dos Santos, presidente da Associação das Comunidades da Região de Juruti Velho (ACORJUVE) responde, segundo pesquisa no Processo Judicial Eletrônico (PJE). 

 

Segundo informações, os moradores de Juruti-Velho estariam insatisfeitos com a gestão do presidente Gerdeonor que já está no cargo há 17 anos, sendo ao todo, seis mandatos. E com a aproximação de mais uma eleição para a presidência da ACORJUVE houve o resgate desses processos. 

 

Dentre os processos está o que  Ministério Público Federal promove ação por desvio de recursos oriundos do INCRA para a construção de casas para os assentados do PAE. 

 

Gerdeonor, está entre os investigados e responde pela prática de atos ímprobos mediante ação/omissão dos diretores da ACORJUVE. 

 

A pessoa que deu publicidade aos processos, denunciou por meio de suas redes sociais, que teria sido agredido pelo irmão do Gerdeonor a mando do presidente: “Devido minha coragem de expor a denúncia contra o presidente da Acorjuve em ações judiciais e muita lavagem de dinheiro…Venho sofrendo ameaça de morte, e ontem fui agredido covardemente pelo irmão do presidente da Acorjuve e seus comparsas”. Na mesma publicação ele indica que já procurou os órgãos competentes.

 

A equipe do Tapajós de Fato procurou Adrian Ribeiro, que presta assessoria para entidade, que respondeu o nosso contato afirmando que “a Entidade não se posicionou, pois em momento algum foi sequer acionada, e muito menos a diretoria ou qualquer servidor estava envolvido no ato. O fato ocorreu em uma festa social, onde Gleidson estava embriagado e quem agrediu o mesmo foi o irmão do presidente, o Sr. Joenilson Pereira, que estava na festa”. 

 

Adrian finaliza dizendo não entender o motivo da vinculação da entidade pois “em momento algum a ACORJUVE pactua com esse tipo de violência e repudia veementemente quaisquer atos semelhantes.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.