Quinta, 26 de Maio de 2022
Gênero e Sexualidade Assembleia

Assembleia do Departamento de Mulheres do Conselho Indígena Tapajós-Arapiuns

“O nosso trabalho como mulheres é semear e colher”

14/03/2022 às 16h05
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto: Tapajós de Fato
Foto: Tapajós de Fato

Nos dias 12 e 13 de março na Aldeia de Pinhel, no município de Aveiro, ocorreu a assembleia do Departamento de Mulheres do Conselho Indígena Tapajós-Arapiuns-CITA, que reelegeu a atual coordenação. 

 

A assembleia teve início na manhã do dia 12 com o ritual e o credenciamento das mulheres que foram representando suas respectivas aldeias, apresentação das convidadas, e a retrospectiva do último mandato. 

 

O primeiro dia foi cercado de emoções, reencontros e trocas de experiências, onde as matriarcas e as demais mulheres presentes  puderam contar suas trajetórias de luta dentro do movimento indígena e as dificuldades de serem mulheres engajadas na luta em defesa dos territórios, houve também uma dinâmica de grupo para o mapeamento das mulheres que ocupam funções de lideranças nas aldeias. 

 

Maura Arapiun fez um discurso contando sobre sua trajetória no Departamento de mulheres: “Nosso trabalho como mulheres é semear e colher”. Sobre o trabalho exercido dentro do departamento, e de como tudo que tem sido feito no fortalecimento da luta das mulheres, tem gerado muitos frutos, como o fato de ter uma mulher como Auricelia Arapiun na coordenação do CITA e outras mulheres indígenas ocupando espaços de decisão. 



O Tapajós de Fato também conversou com Maria José do povo Maytapu e  liderança da Aldeia de Pinhel, que nos contou sobre receber a assembleia do departamento de mulheres na aldeia. “É sempre uma felicidade muito grande receber mulheres de luta, e rever as companheiras reforça a nossa vontade de lutar pelas nossas mulheres e nossos territórios”. 

 

O dia terminou com a exibição de um documentário contando um pouco da trajetória do Departamento de Mulheres.

 

No segundo dia de assembleia houve a eleição da nova coordenação, as indicadas para coordenadoras foram Eli Tupinambá e Maura Arapium, e para secretárias Fernanda Borari e Marcelly Munduruku, ambas foram reeleitas. 

 

A atual coordenação reafirmou seu compromisso com a luta das mulheres e o fortalecimento do movimento indígena. 

 

Maura Arapiun finaliza dizendo que “os nossos medos são fichinhas perto da coragem que nós mulheres temos”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.