Quinta, 26 de Maio de 2022
Reportagem Especial Artesanato

Cultura e renda na Amazônia: a importância dos trançados de palha na região do Tapajós

“Esse é um aprendizado de geração para geração e ele nunca acaba’’.

16/03/2022 às 14h59
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
ASCOM Turiarte
ASCOM Turiarte

A arte do trançado em palha de tucumã é uma técnica pré-histórica, que, no Brasil, foi implementada em nossa cultura pelos povos indígenas, que utilizavam os objetos feitos da palha tecida no seu cotidiano, seja para colher, pescar, armazenar e até transportar seus alimentos. 

 

Esta prática artesanal tem diversos estilos, que mostram em seus objetos diferentes formas, cores e desenhos, que variam de acordo com o povo que os fabricam e também da região que são confeccionados.

 

Atualmente ainda é fácil encontrar pessoas que herdaram de seus antepassados o dom milenar de confeccionar as cestarias e demais trançados de palha. Em nossa região, um dos trançados mais conhecidos é feito por diversas cooperativas de mulheres artesãs da região do Rio Arapiuns. Uma dessas mulheres é a senhora Sônia Martins, da comunidade Atodi, no Rio Arapiuns, secretária da TURIARTE AMAZÔNIA (Turismo e Artesanato da Floresta) que nos conta um pouco sobre a história do artesanato na região.

 

Segundo Sônia, o artesanato era comumente utilizado por seus pais no dia a dia para carregar os frutos da colheita diária.

 

“O artesanato iniciou há muito tempo atrás. Nossos pais faziam para colocar a mandioca, colocar farinha [...]” . Martins também conta como esse ensinamento foi repassado para a sua geração. “Com o passar do tempo, eles (pais) foram ensinando seus filhos, porque precisavam fazer esses produtos. E com o passar do tempo os filhos foram vendo que isso (o artesanato) também gerava renda, e começaram a vender para os atravessadores de Santarém’’.

 

Além do Arapiuns, a região do Arapixuna também produz trançados que encantam os olhares de qualquer um. A TUCUMARTE, por exemplo, reúne artesãs da comunidade Urucureá, que produzem teçumes a partir  da palha do Tucumã e utilizam o trançado como forma de subsistência, a TUCUMARTE faz parte da cooperativa TURIARTE AMAZÔNIA.

 

O Tapajós de Fato conversou com Neide de Oliveira, tesoureira da TURIARTE e membro da TUCUMARTE Urucureá, que nos falou sobre a importância do artesanato para os povos da Amazônia. Neide diz que o artesanato tem uma grande importância para cada artesã por proporcionar renda e valorização para as mesmas e suas famílias.

 

Neide de Oliveira ressalta a importância do repasse de conhecimentos para as novas gerações. “É importante que a gente repasse o conhecimento que a gente tem para os nossos filhos, sobre artesanato, design e acabamento [...] Esse é um aprendizado de geração para geração e ele nunca acaba’’.

 

A produção do teçume

Os produtos são confeccionados com elementos naturais retirados das florestas da região. Tudo se inicia com a retirada da palha do Tucumanzeiro, palmeira típica da região amazônica. Como a palmeira possui espinhos do tronco até a folha, a palha passa por um processo de retirada de espinhos, e em seguida é aberta e colocada para secar.

 

Depois desses passos, a palha é tingida na água fervente com as tinturas naturais feitas pelas próprias artesãs. O preto é feito do jenipapo, o preto-azulado é retirado do jenipapo de igapó, a tintura amarela vem da mangarataia ou açafrão, a roxa é feita da folha da caapiranga, a folha do crajiru vira tintura marrom, e da mistura do jenipapo com a mangarataia surge a tintura verde. 

 

Após a palha tingida e seca é hora de iniciar o bonito trabalho de teçume, feito pelas mãos habilidosas de artesãs herdeiras de uma cultura ancestral.  

 

A TURIARTE AMAZÔNIA

A TURIARTE é uma cooperativa que trabalha com turismo e artesanato  de base comunitária na região dos rios Amazonas, Tapajós e Arapiuns, em Santarém, Mojuí dos Campos, Juruti e Aveiro. Suas principais bandeiras são: empoderamento feminino através da geração de renda para as mulheres, saúde da família e garantia de trabalho e renda para a juventude da região em que atua.

 

A TURIARTE surge para reunir e apoiar grupos de comunitários da região que trabalham com turismo de base comunitária, artesanato e produção de mel através da apicultura, seu apoio se dá diretamente na representação legal destes grupos, por exemplo, auxiliando na emissão de notas fiscais para garantir uma venda responsável e segura dos produtos dos cooperados. 

 

Além da representação legal, a TURIARTE proporciona capacitação para seus cooperados, fazendo com que a qualidade de seus trabalhos possam evoluir e agradar cada vez mais os consumidores, sejam eles da região ou de fora, já que os produtos dos comunitários são conhecidos mundialmente. 

 

Hoje em dia a cooperativa possui 12 comunidades associadas, porém, somente 11 estão ativas em suas produções. Das doze comunidades, a maioria está localizada no PAE Lago Grande.

 

 

Colaborar com os artesãos, pescadores, apicultores, guias turísticos e demais trabalhadores da floresta é colaborar com a manutenção das diversas culturas da região e também dos territórios em que pertencem esses trabalhadores e trabalhadoras. Por esse motivo é de extrema importância valorizar os comunitários e comunitárias que se dedicam a repassar seus conhecimentos e manter viva a cultura herdada de seus ancestrais.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.