Quinta, 26 de Maio de 2022
Amazônia Denúncia

Crianças caminham mais de 8 km para chegar à escola em comunidade na região do Lago Grande

Comunitários cobram urgência na recuperação de ramal, para a trafegabilidade de transporte escolar.

25/03/2022 às 11h06 Atualizada em 29/03/2022 às 11h32
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

A comunidade Cabeceira do Ouro fica localizada na região do Lago Grande, em Santarém, comunidade onde vivem mais de 30 famílias extrativistas.

 

A comunidade tem uma escola que funciona somente com as séries do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, portanto outras crianças que estão cursando outras séries maiores têm que se deslocar até a comunidade de Aracuri, que fica às margens da rodovia-PA 257, conhecida como Translago.

 

Na escola de Aracuri, Alacid Nunes, o transporte escolar é feito de ônibus que ajuda os alunos chegarem à escola polo, porém o ônibus não está tendo acesso até a comunidade para levar os alunos, pois o ramal e as pontes não oferecem condições, tornando assim inviável que o transporte escolar chegue a comunidade.  

 

O Tapajós de fato conversou com Marlene Sarmento, moradora da comunidade e atual coordenadora da associação comunitária.


Marlene relatou que “a comunidade já enviou toda documentação, tantos ofícios à secretaria responsável por esse trabalho, mas até o momento, somente  de que vai ser feita a recuperação da estrada, e nada”. 

 

A coordenadora da comunidade disse ainda o número de crianças que dependem do ônibus. “No período da manhã são 5 alunos, inclusive 3 são do pré-escolar de 4 anos de idade, (21 alunos) do 6º ao 9º ano e (10 alunos) do Ensino Médio que estão prejudicados pelas péssimas condições do referido ramal”, disse Marlene Sarmento.

 

Em ofício enviado ao Secretário Municipal de Agricultura e Pesca- SEMAP,  a comunidade solicita o seguinte:

 

  • A recuperação de de 8 KM de ramal no trecho Aracuri/Cabeceira do Ouro,  assim também a manutenção de 3 pontes e 2 bueiros.

 

Marlene relatou ainda ao Tapajós de Fato, “a subprefeitura informou que nesta quinta-feira, as máquinas estariam na comunidade para fazer a recuperação, mais tarde fomos informados que só na próxima semana, a comunidade quer um ramal que tem condição de trafegabilidade para nossa população, e precisa ser um trabalho bem realizado, pois também estamos no período do inverno”.

 

A moradora completa que “esse problema precisa urgente ter uma solução, pois nossas crianças estão indo para escola, pela manhã, e quando ta chovendo fica pior ainda, e eles precisam sair também no sol do meio dia para então não serem prejudicadas, pedimos como comunidade, e moradora que nosso ramal entre no orçamento da Prefeitura”.

 

A justificativa da prefeitura é que o "inverno Amazônico... tem castigado o município causando sérios prejuízos à malha viária rural" . A nota enviada pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura diz ainda que "Sobre o caso em questão, a Semap vai enviar uma equipe ao local para realizar levantamento técnico e posteriormente execução dos serviços..." e  também "garante que o problema será resolvido o mais breve possível".

 
 
 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.