Quinta, 26 de Maio de 2022
Reportagem Especial Banquetaço

Banquetaço: ação solidária entrega 500 cestas agroecológicas no bairro Vigia, em Santarém

“É uma ação de solidariedade, mas também de posicionamento diante da atual conjuntura do país, de fome, do desmonte de políticas públicas”.

31/03/2022 às 14h36 Atualizada em 31/03/2022 às 15h03
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Redes Sociais Fundo Dema
Foto: Reprodução/Redes Sociais Fundo Dema

Realizado na manhã desta quarta-feira (30), no bairro Vigia, município de Santarém, o Banquetaço Solidário, uma ação solidária de distribuição de cestas de alimentos e kits de higiene, distribuiu 500 cestas, onde 70% dos produtos são de produções agroecológicas.

 

A ação é de iniciativa da Fase Amazônia e do Fundo Dema. Os Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e Agricultores Familiares (STTRs) de Santarém, Mojuí dos Campos e Belterra; além da Associações  de Mulheres Trabalhadoras Rurais de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos, o Centro de Apoio a Projetos de Ação Comunitária (CEAPAC), e a Federação das Associação e Comunidades Agroextrativistas da Gleba Lago Grande (Feagle),  e a Federação das Associações de Moradores e Comunidades de Santarém, contribuíram para a realização da entrega dos alimentos.

 

Fila para receber as cestas. Foto: Tapajós de Fato

 

Sara Pereira, educadora popular da Fase Amazônia, explica que, “é uma ação articulada da Fase, do fundo DEMA com organizações locais aqui da região. Então nós estamos distribuindo cestas de alimentos com setenta por cento de produtos da agricultura familiar e os outros trinta por cento composto por produtos de supermercado e de limpeza, mas a ideia é que a gente pudesse fazer então esse encontro das mulheres que produzem os alimentos com essas famílias que estão em vulnerabilidade social, que a grande maioria são chefiadas por mulheres”.

 

A decisão  de realizar a ação no bairro Vigia se deu a partir de um levantamento de informações, onde foi percebido que se trata de um bairro que tem três áreas de ocupação dentro e famílias que moram em torno de um lixão. “Então a gente sabe que a situação econômica do bairro é bem  acentuada. Têm pessoas com muita dificuldade”, explica Sara Pereira.

 

O Brasil voltou para o Mapa da Fome e muitas famílias não estão conseguindo comprar os produtos essenciais da cesta básica. “Então a gente vive num momento de muita vulnerabilidade alimentar em decorrência do boicote inclusive do Governo Federal, do atual governo, do governo Bolsonaro, às políticas públicas de segurança alimentar e nutricional que a gente tinha construído no Brasil'', conta a educadora popular.

 

Sara Pereira fala também que muitas pessoas têm sofrido aqui na região por conta da soja, o agronegócio tem inclusive capturado as áreas produtivas da agricultura familiar. As mulheres agricultoras têm resistido muito. 

 

“Os agricultores, as famílias agricultoras, de uma forma geral, têm resistido muito e continuam produzindo, enfrentando o agronegócio, os agrotóxicos e colocar isso pras pessoas que estão na cidade que muitas vezes não não se atentam para isso essa é a ideia do Banquetaço, não é só entregar as cestas”.

 

Sara Pereira, educadora popular da Fase Amazônia. Foto: Tapajós de Fato

 

Os retrocessos na vida de milhares de brasileiros não ocorrem por acaso, para Sara Pereira o que vem acontecendo é parte de “um projeto político em curso que levou essas famílias a voltar a passar fome e o agronegócio faz parte disso porque o que o agro produz não vai pra mesa das famílias que estão nas periferias da cidade. Quem põe comida na mesa das famílias das periferias urbanas são os agricultores familiares, as agricultoras do campo, do campo e das zonas periurbanas que produzem alimentos saudáveis”.

 

A Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais de Santarém foi uma das organizações parceiras do Banquetaço, parte dos alimentos das cestas foram comprados dela, produtos cultivados de forma agroecológica, além de dar suporte com o carro da associação  na logística da ação.

 

A presidente da AMTR, Marta Campos, disse que a participação “foi muito importante sabendo que o que nós estávamos fazendo ia ter um resultado, de trazer comida pras pessoas, mas uma comida saudável. Cada um que vai receber com certeza vai valorizar bastante o que recebeu de uma cesta”.

 

Cláudia Santana, presidente do Associação de Moradores do Bairro Vigia (AMBAVIG), conta que a ação é importante, “a questão da fome está alarmante e afeta principalmente as famílias chefiadas por mulheres, que na maioria são mulheres negras”.

 

“Infelizmente nós temos ocupações dentro da comunidade, infelizmente quando eu falo é no sentido de falta de atendimento, a prestação de serviços públicos. Infelizmente essas famílias junto com as nossas famílias que antes já existiam aqui no bairro, somos totalmente descobertos dos serviços de saúde pública, de educação, de assistência social”. 

 

A presidente da  AMBAVIG conta que as ruas estão totalmente abandonadas, o transporte coletivo já nem trafega  pela rota, obrigando os moradores a se deslocarem até a Curuá-una. “A alta vulnerabilidade econômica do bairro junto a todos esses problemas também foram justificativas para a escolha do bairro para a ação ser realizada”, finalizou Cláudia Santana.

 

Graça Costa, que faz parte do Comitê Gestor do Fundo Dema, um dos realizadores do Banquetaço Solidário, conta que “outras ações, como a que foi realizada em Santarém, já foram realizadas no período da pandemia em outras regiões do estado do Pará”. Graça ressalta a importância das articulações locais que possibilitaram a ação, “a gente não consegue fazer nada zozinho”.

 

Ela conta também que o repasse das cestas “é uma ação de solidariedade, mas também de posicionamento diante da atual conjuntura do país, de fome, do desmonte de políticas públicas”. 

A ideia é completar um número de 6 mil cestas e para isso, Graça não descarta que outra ação seja realizada na região de Santarém.

.

Graça Costa, integrante  do Comitê gestor do Fundo Dema. Foto: Tapajós de Fato

 

Mesmo com chuva durante toda a manhã as cestas foram entregues. A ação ocorreu na igreja Santa Luzia. 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.