Quinta, 26 de Maio de 2022
Notícias Feira Indígena

1ª Feira Cultural dos povos indígenas do Baixo Tapajós acontece em Santarém

Feira cultural dos 13 povos indígenas do Baixo Tapajós tem sua 1ª edição com a exposição de produtos e artesanatos na sede do Conselho Indígena Tapajós-Arapiuns (CITA).

27/04/2022 às 18h27 Atualizada em 27/04/2022 às 18h32
Por: Tapajós de Fato Fonte: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Foto reprodução
Foto reprodução

Iniciou na segunda-feira (25), a primeira edição da "Feira Cultural dos 13 Povos do Baixo Tapajós", em Santarém, Oeste do Pará. O evento promovido pelo Conselho Indígena Tapajós-Arapiuns (CITA) ocorre até o dia 27 de abril, e reuni trabalhos de indígenas e artesãos, mostrando o potencial cultural e econômico do segmento para centenas de pessoas.

 

Além da exposição dos trabalhos são realizadas apresentações culturais e venda de iguarias.

 

A Feira Cultural tem como objetivo destacar a diversidade, pois reúne artesãos de várias etnias da região, despertando aos participantes o interesse pela cultura indígena e a importância em se ter conhecimento no contexto da valorização da diversidade cultural.

 

A realização do evento também tem a finalidade de mostrar que as artes indígenas se revestem de particularidades expressivas e constituem a essência de sua própria humanidade.

 

A visitação e venda acontecem na sede do Cita até às 19h do dia. A estrutura, com os trabalhos de vários artistas artesãos, fica localizada na avenida Fernando Guilhon (entrando pela Ocupação do Juá).

 

Confira como foi a programação

Na segunda-feira aconteceu às 19h da noite o ritual e apresentação cultural, onde vários artistas se apresentaram, entre eles as Suraras do Tapajós. Na terça-feira (27) o dia continuou com exposições e vendas, jogos de arco e flecha e zarabatana, visitação das escolas e público em geral, exposição de material  audiovisual do movimento indígena do Baixo Tapajós. 

 

O Tapajós de Fato entrevistou Jacilene Sousa da aldeia Suruaca, que relata a importância da feira.

 

"A Feira vem trazer muita importância, porque é uma fonte de renda, e uma ajuda também, porque na aldeia às vezes a gente não tem como mostrar e expor nossos produtos, nossos trabalhos, então com a feira a gente veio mostrar nosso produto, e forma de expandir nosso trabalho”.

 

O Tapajós de Fato também conversou com Auricélia Arapiun, coordenadora do Conselho Indígena Tapajós Arapiuns (CITA).

 

“A construção da feira é um sonho” afirmou Auricélia.

 

A coordenadora disse ainda, “nós já tentamos expor os produtos em outros espaços, e agora a gente construiu nosso  espaço, na nossa sede com essa expectativa de fazer do espaço um local, de comercialização de produtos oriundos das aldeias, a gente precisa mostrar pra sociedade o que produzimos no territórios, nas aldeias, e fortalecer as aldeias economicamente para que eles possam ter uma ligação com o produtor e o consumidor, porque o que tem acontecido é que são os atravessadores que compram esse produto por preços muitos baixos”.

 

Auricélia disse ainda “uma outra razão para a realização da feira, e contrapor os grandes projetos de desenvolvimento, quando eles falam de desenvolvimento, a gente que mostra pra sociedade como desenvolver da nossa forma, sem agredir a natureza, sem destruir os igarapés e a floresta, isso também é um objetivo da feira, contrapor esses projetos de desenvolvimento que querem destruir nossos territórios", finalizou a coordenadora.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.