Quinta, 26 de Maio de 2022
Cultura Fortalecimento

Movimentos culturais de Santarém realizam encontro para discutir as pautas estratégicas do município

Além da união da classe e aproximação após dois anos de pandemia, o evento visa também à organização do segmento cultural como sociedade civil para reavivar pautas históricas que ainda precisam ser consolidadas.

12/05/2022 às 14h58
Por: Tapajós de Fato
Compartilhe:
Reprodução/Internet
Reprodução/Internet

Nesta sexta-feira (13/05) às 19h, no Espaço Guarden, fazedores de cultura independentes, representantes de movimentos e espaços culturais irão se reunir para discutir as pautas culturais do município.  Dentre elas:  Sistema Municipal de Cultura; Fundo Municipal de Cultura; Lei Municipal de Incentivo à Cultura; Leis Federais Aldir Blanc e Paulo Gustavo; Curso de Artes para Santarém e renovação do Conselho Municipal de Políticas Culturais. 

 

O objetivo do encontro, além da união  da classe e aproximação após dois anos de pandemia, visa também à organização do segmento cultural como sociedade civil para reavivar pautas históricas que ainda precisam ser consolidadas. “Esse momento é fundamental para a retomada das lutas por políticas culturais em nossa cidade, além de ser um grande passo para que nós fazedores possamos engrossar o caldo das lutas coletivas em favor da cultura santarena”, destaca João Carlos Miranda, integrante da Comissão do Movimento de Fazedores e Fazedoras de Cultura de Santarém. 

 

O setor cultural foi um dos mais impactados pela pandemia, tanto que no final de 2020 foi criado um auxílio emergencial para tal segmento, via Lei Aldir Blanc. Essa lei, além de financiar um auxílio para trabalhadores e organizações do setor cultural, procurou estimular a atividade econômica desse importante setor que pode corresponder entre 1% e 2,6% do produto interno bruto (PIB) brasileiro, a depender da métrica utilizada, de acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Assim, promover condições para que a cultura local gere mais empregos e renda se faz necessário. “Se envolver nas lutas do segmento é muito importante. Precisamos, além de atuar em nossas áreas de maneira independente, estar atentos às necessidades de toda uma coletividade, pois unidos e alinhados, certamente quem ganha é a nossa cultura”, reforça Pedro Alcântara, do segmento do audiovisual. 

 

Além dos debates das pautas, apresentações culturais e intervenções artísticas compõe a programação.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.